ANO XIV

ANO XIV - Catorze anos informando sobre o mundo do trabalho

domingo, 22 de dezembro de 2013

CONTRATAÇÃO POR INDICAÇÃO

Muitas pessoas com dificuldade de conseguir uma oportunidade de trabalho tende, a certa altura, buscar “culpados” pelas dificuldades. Essa dificuldade pode estar acontecendo por fatores de mercado, onde há mais candidatos do que vagas naquele segmento ou região geográfica; pode ocorrer por questões pessoais do candidato, como falta de preparo técnico ou mesmo comportamental, e ainda em não saber como procurar trabalho.
Em grupos que participo nas redes sociais vejo muitas pessoas que estão com essa dificuldade reclamar que “se não for indicado, você não trabalha”. Isso em parte é verdade, mas as pessoas que reclamam entendem isso de forma distorcida, como se essa indicação fosse por “nepotismo”, uma indicação apenas por ser amigo ou parente. E não é esse tipo de indicação, popularmente chamada de Q.I. (Quem Indica), que ocorre.
Hoje em dia, grande parte das contratações, que em alguns casos chega a 90%, é realizada por meio de indicações de funcionários das empresas e muitas empresas adotam e incentivam essa prática. Normalmente isso ocorre porque o funcionário da empresa conhece como é a empresa e também conhece a pessoa que poderá ser indicada, possibilitando uma maior segurança no processo de contratação. Isso não significa que o candidato indicado não terá que passar pelo processo seletivo com as entrevistas e testes de praxe.
Já me aconteceu estar em situação de poder indicar alguém onde eu trabalhava e em algumas fiz a indicação e outras não. Uma das vezes fiz a indicação de um amigo que se encaixava perfeitamente à vaga e em outra, apesar do outro amigo que pensei em indicar, embora fosse extremamente capaz e excelente para aquele trabalho, eu sabia que ele não permaneceria por muito tempo no emprego, pois tinha outros objetivos e então eu estaria ajudando o amigo naquele momento, mas estaria prejudicando a empresa. Assim, até mesmo aquele que indica, não pode e não deve indicar apenas pela amizade.
Sempre falo sobre isso quando dou palestras sobre o tema “Mercado de Trabalho”. Falo sobre o “networking” e avisar seus amigos e conhecidos que você “está na pista” em busca de oportunidade de trabalho e são esses amigos e conhecidos que são o seu “Q.I.” (quem indica). É sempre uma pessoa dessa que irá se lembrar de você (caso se encaixe) quando abrir uma vaga na empresa onde ele trabalha. Para se ter uma ideia, a busca de trabalho pela internet por meio de sites de emprego e mesmo das empresas, a cada cem currículos recebidos apenas 1 é chamado. Já pelas indicações de amigos e conhecidos, a cada dez currículos um é chamado.  

Portanto, não interprete o Q.I. na busca por uma oportunidade de emprego, como algo nocivo (salvo aquelas indicações políticas de “apaniguados”). Faça-se lembrar pela sua competência, profissionalismo, pelas suas qualidades, enfim. Assim sua busca se tronará menos difícil.

Por: Nelson Miguel Junior
Para: O Mundo do Trabalho