ANO XIV

ANO XIV - Catorze anos informando sobre o mundo do trabalho

quinta-feira, 12 de abril de 2012

VOCÊ TEM UM EMPREGO NOVO? OS PRINCIPAIS PECADOS QUE NÃO SE PODE COMETER

O UOL publicou uma matéria em 10/04 onde especialistas em Recursos Humanos apontam que os primeiros meses de trabalho são fundamentais para carreira deste profissional dentro da nova empresa. Nós também acreditamos nisso e sempre que abordamos o tema da empregabilidade em nossas palestras ressaltamos os pontos que determinam a vida desse profissional na empresa que acaba de ingressar ou que irá ingressar.

A matéria alerta que é nesse período de experiência que a empresa observa e avalia se o profissional se manterá no cargo e em que condições. Segundo Andrea Bavier da Consultoria Luandre, “a chefia é a responsável pela avaliação, mas a equipe também participa mesmo que seja de maneira informal”.

O comportamento muitas vezes acaba sendo mais importante numa decisão de manter ou não o profissional do que seu conhecimento técnico e experiência. A consultora aponta cinco erros principais que um recém contratado pode cometer e dá as dicas:

Desinteresse - O profissional deve assumir uma postura de aprendiz e buscar informações sobre seu trabalho e normas da empresa. Pergunte, observe e eleja uma pessoa que possa ser seu mentor.

Falta de Integração com a equipe - Lembre-se: você depende da equipe a qual pertence. Utilize a observação a seu favor para conhecer o ambiente comportamental do grupo. Veja como as pessoas se relacionam e tratam umas as outras. Evite agir sem se importar com as regras de conduta da empresa ou da equipe.

Atrasos e faltas - Procure não faltar. Não se atrase ou peça para sair durante o horário de trabalho. Caso tenha questões pessoais a serem resolvidas, é mais saudável negociar a data de sua admissão. Assuntos particulares devem ser resolvidos e tratados fora do horário de trabalho. O uso da internet para assuntos pessoais deve ser evitado.

Individualismo e arrogância - Demonstre suas capacidades e realize tarefas sempre compartilhando com todos, mas tome cuidado para que não seja interpretado como o “sabe tudo”. Evite se isolar para que não seja tachado como arrogante. Não desenvolva atividades levando em consideração apenas seu conhecimento ou ponto de vista.

Criticas e fofocas - Não critique métodos, processos ou qualquer outra coisa sem ter embasamento para tal. Falar mal da empresa ou dos colegas de trabalho também não é saudável, afinal de contas, você acabou de chegar e escolheu trabalhar naquela organização. Evite se envolver em conflitos e as famosas fofocas que rodeiam o ambiente de trabalho.

segunda-feira, 9 de abril de 2012

A ROTATIVIDADE NO MERCADO DE TRABALHO ATUAL

Um recente estudo do IPEA - Instituto de Pesquisas Econômicas Avançadas mostra um crescimento do número de pessoas que trocam de emprego. Em 100 postos de trabalho aconteceram mudanças em 106, ou seja, mais de uma mudança por posto. Nos dois primeiros meses de 2012, mais de 30% dessas mudanças foi por opção do trabalhador. Como dissemos em postagens anteriores, o mercado de trabalho está em transformação e com mudanças de paradigma. O desemprego de hoje é diferente do desemprego de alguns anos atrás, não só em números como na qualidade e forma. (verificar post de 28/03/2012)

Com o crescimento econômico as características do mercado de trabalho mudaram. Os setores que mais cresceram, como o setor de serviços, são onde ocorrem o maior “turn over” (rotatividade). Outros setores específicos que apresentaram grande crescimento, também apresentaram rotatividade. As mudanças ocorrem por diversos motivos. Pela empresa, normalmente por redução de custos ou busca de profissionais mais qualificados. Pelo trabalhador, pelo surgimento de melhores oportunidades. Como os maiores empregadores em número de vagas são as pequenas e médias empresas, isso favorece a rotatividade, pois as condições de trabalho e os salários nesse tipo de empresa podem ser bem diferentes entre elas, propiciando aos trabalhadores melhor preparados a oportunidade de escolher onde trabalhar.

Mais uma vez podemos afirmar diante dos fatos que independentemente da situação econômica, estar bem preparado para enfrentar o mercado de trabalho só traz vantagens.