ANO XIV

ANO XIV - Catorze anos informando sobre o mundo do trabalho

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

QUEDA DE 20,5% NA GERAÇÃO DE EMPREGOS EM AGOSTO

Os meses de agosto e setembro normalmente são de crescimento do número de postos de trabalho, principalmente pelo fato de estar começando a cadeia de produção para as vendas de final de ano. Mas neste ano a coisa não está tão boa.

A situação não foi pior pois o setor de serviços contribuiu positivamente para as contratações. Todavia, o setor industrial continua em queda livre e apresenta desemprego, ou seja, demite mais do que contrata. O mesmo acontece na agricultura.

A queda na geração de postos de trabalho em agosto foi 20,5% menor que no mesmo período do ano anterior. A queda no emprego vem acontecendo desde maio, fruto de políticas econômicas inadequadas e ausência de uma política industrial, que diminui a produtividade e desestimula investimentos. A cada mês as previsões do PIB são reduzidas e há quem aponte um crescimento de apenas 0,5%, um número pífio para um país como o Brasil, ainda mais se compararmos com outros países da América Latina que estão apresentando crescimento bem acima do crescimento brasileiro.

  
        

Em agosto de 2013 foram gerados 127,65 mil postos de trabalho contra apenas 101,42 mil em agosto de 2014. A tendência não é de melhora, já que há muita desconfiança nos rumos da economia para ofuturo próximo, incluindo ainda a dívida pública altíssima criada nos últimos anos, que ao final das contas, ceifará muitos postos de trabalho.