quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

FELIZ NATAL E UM GRANDE ANO NOVO

DESEJAMOS A TODOS OS NOSSOS SEGUIDORES, LEITORES, AMIGOS E VISITANTES UM NATAL DE MUITA PAZ E AMOR E UM ANO DE 2012 DE ALEGRIAS, SUCESSOS E VITÓRIAS. DESEJAMOS AINDA QUE NUNCA FALTE TRABALHO E VONTADE DE VENCER, POIS ESSES SÃO OS INGREDIENTES PARA O CRESCIMENTO!

FELIZ NATAL E UM ÓTIMO 2012

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

MOTIVAÇÃO E NOVOS PARADIGMAS

Estudos realizados por especialistas em RH nos EUA têm demonstrado que cada vez mais as características do mercado de trabalho hoje se equivalem aos anos 30, e com uma pitada a mais de ansiedade. As pessoas estão trabalhando mais horas diariamente e com o objetivo de pagar suas contas no final do mês, desmotivados e sem reconhecimento do seu trabalho. As coisas hoje em dia estão muito rápidas e isso tem levado os profissionais a um total descompasso ou desequilíbrio com outras partes de sua vida como o lado pessoal, família, lazer, descanso, etc. As pessoas estão se esquecendo do básico, das coisas óbvias e isso traz prejuízos para o profissional e para a empresa, já que esse desequilíbrio, mais cedo ou mais tarde, irá se refletir na produtividade e nos resultados. Tony Schwatrz, um estudioso do assunto e presidente do Energy Project, diz que é preciso manter a qualidade de vida do profissional para que ele mantenha sua energia e sua produtividade. Schwartz propõe ainda uma mudança na cultura corporativa atual do profissional polivalente, multitarefas, focado em diversas atividades. Ele entende que isso pode fazer o profissional perder o foco e mencionando estudo da Associação Americana de Psicologia as pessoas gastam 25% a mais de tempo para realizar uma tarefa. Para ele, o uso indiscriminado do email leva também a uma perda irreparável de energia e tempo. Nesse aspecto, o consultor Anthony Tjan, recomenda que em muitos casos o telefone é muito mais produtivo para resolver problemas do que uma troca interminável de emails.

O uso da tecnologia começa a causar certo nível de transtorno e ainda não sabemos lidar com isso. A motivação vem caindo em profissionais de diversos países. Precisamos retomar o bom senso e não nos esquecer da qualidade de vida de cada profissional de qualquer nível, sejam executivos, sejam operários.

NA BASE DA PIRÂMIDE

No último dia 22 de novembro foi realizado o seminário São Paulo na da Base da Pirâmide, que analisou e debateu o potencial de mercado para negócios que atendam à camada mais pobre da população promovido pela Prefeitura de São Paulo na Fundação Armando Alvares Penteado (Faap), em São Paulo. O tema foi debatido por especialistas de diversos segmentos, focando, principalmente, as ações de órgãos públicos e da iniciativa privada para as classes C, D e E, que compõem a chamada base da pirâmide. No evento, os representantes da Prefeitura de São Paulo, do BID e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e empresas privadas, apresentaram suas soluções para capitalizar tanto empreendedores desse estrato social como empresas que pretendem investir nele.

“Diante do atual cenário econômico brasileiro, essa população representa um grande mercado potencial, que está em franca expansão, por conta disso, o conceito traz abordagem para aproximação de produtos e serviços de qualidade ao público em questão”, afirma o secretário de Desenvolvimento Econômico e do Trabalho, Marcos Cintra. Para o supervisor de Empreendedorismo da SEMDET, Luiz Augusto Ferreira, o evento busca soluções empreendedoras para amenizar os graves problemas sociais a partir de ferramentas de um setor privado e público mais criativo, inovador e sustentável.

Para futuros empreendedores, foram apresentadas também duas iniciativas. Um é o programa Visão de Sucesso, parceria entre o BID, o Itaú-Unibanco e a Endeavor para capacitar 100 empresas pequenas e médias para oferecer produtos e serviços para a base da pirâmide nos próximos três anos. O outro é a Rede de Incubadoras da Cidade de São Paulo, projeto da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e do Trabalho (SEMDET) e do Centro Incubador de Empresas Tecnológicas (Cietec) para capacitar startups que tenham idéias para melhorar a qualidade de vida em centros urbanos. O representante do BID – Bando Interamericano de Desenvolvimento , Luiz Ros, identificou a dificuldade das empresas que desejam entrar nesse mercado, que recorrem à ONGs por não entender a dinâmica desse mercado, e dessa forma negligencia esse público. Já o presidente do banco de microcrédito São Paulo Confia, Hugo Duarte, disse que os programas só funcionam quando há orientação sobre boas práticas de gestão, desde a higiene até a área tributária. Foram apresentados ainda alguns “cases” de sucesso dentro desse mercado.

sábado, 26 de novembro de 2011

ENCERRADA A 1ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DE EMPREGO E TRABALHO DECENTE

Durante a 1ª Conferência Estadual do Emprego e Trabalho Decente em São Paulo, foram debatidas diversas propostas que serão encaminhadas à Conferência Nacional, que será realizada em 2012. A Conferência foi formada por delegados indicados pelos Trabalhadores, Empregadores, Poder Público (do qual fazíamos parte) e sociedade civil que apresentaram propostas para quatro temas principais:




1. Princípios e Direitos Fundamentais no Trabalho

2. Proteção Social

3. Trabalho e Emprego

4. Fortalecimento do Tripartismo e do Diálogo Social como Instrumento de Governabilidade Democrática.

As delegações dividiram-se em 4 grupos, cada um discutindo as propostas de cada eixo temático, que foram votadas nos grupos e posteriormente votadas na sessão plenária, com o voto de todos os delegados.

A maioria dos debates ocorreu de forma democrática e respeitosa, porém em um ou outro ponto mais polêmico, ânimos mais exaltados se fizeram presentes. Mas a Conferência terminou da melhor maneira possível, com um grande número de propostas validadas para a Conferência Nacional de Emprego e Trabalho Decente no ano que vem em Brasília.

O evento foi realizado pela SERT (Secretaria Estadual das Relações do Trabalho), com o apoio técnico da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e do governo federal e conta com a participação das secretarias estaduais da Saúde; Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia; Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência; Justiça e Cidadania; e Meio Ambiente; Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e do Trabalho; da CUT, Força Sindical, UGT, CTB, CGTB e NCST, da FIESP, FECOMÉRCIO, FENABAN, FESESP, FAESP e FETECESP.

Abaixo a imagem dos nossos Delegados 





terça-feira, 22 de novembro de 2011

1ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DE EMPREGO E TRABALHO DECENTE

A partir de quinta-feira estaremos participando da 1ª Conferência Estadual de Emprego e Trabalho Decente e esperamos poder contribuir com nossa participação.


O evento acontecerá nos dias 24 e 25 de novembro, no Memorial da América Latina. Participam 500 delegados que representam empresários, trabalhadores, poder público e organizações da sociedade civil organizada.

Da conferência serão destacados os 70 delegados desses mesmos segmentos, que representarão o Estado de São Paulo na 1ª Conferência Nacional de Emprego e Trabalho Decente, a se realizar no próximo ano em Brasília.

Entre os objetivos da 1ª Conferência Estadual, está a formulação de uma política estadual sobre o tema.

Na conferência serão debatidos quatro eixos temáticos principais: Princípios e Direitos Fundamentais do Trabalho; Proteção Social, Fortalecimento do Tripartismo e do Diálogo Social, em especial a negociação coletiva e Trabalho e Emprego do qual participaremos.

Na próxima semana falaremos aqui sobre os resultados da Conferência.



sexta-feira, 11 de novembro de 2011

POLÍTICAS PÚBLICAS DE INCLUSÃO



Ontem, dia 10 de novembro, aconteceram dois eventos importantes em relação a Políticas Públicas na área do Trabalho. O primeiro, promovido pela Coordenadoria do Trabalho da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e do Trabalho (SEMDET) da cidade de São Paulo e outro pela Secretaria de Emprego e Relações do Trabalho do Estado de São Paulo (SERT) e Comissão Estadual do Emprego.

O evento promovido pela SEMDET, o 1º Seminário sobre a Promoção dos Direitos LGBT para a geração de trabalho, emprego e renda na cidade de São Paulo, apresentou dois painéis e uma mesa redonda que debateu as questões relacionadas ao tema do evento. O primeiro painel apresentou o panorama sobre a questão LGBT do ponto de vista do mundo empresarial e o segundo painel, uma visão das políticas públicas, legislação e práticas.


Já o evento da SERT, o II Encontro Estadual de Inclusão – Trabalho, Emprego e Renda - apresentou quatro painéis que apresentaram diversos aspectos da inclusão no mercado de trabalho, a questão das pessoas com deficiência, etnicas, de gênero, além da situação no campo. Foram apresentados ainda “cases” de sucesso e de responsabilidade social de empresas na inclusão de pessoas com deficiência e no campo.

Parabéns ao Governo do Estado de São Paulo e a Prefeitura de São Paulo, por discutir questões tão sensíveis e importantes, propondo soluções e apresentando o que já está sendo feito pelo poder público e por algumas empresas que sabem de sua responsabilidade diante da sociedade.

sábado, 5 de novembro de 2011

EMPREENDER SEMPRE. OUSAR É BOM!

A idéia de ser um empreendedor não se basta em iniciar um negócio. O ato de empreender já é por si só um ato de ousadia e que sempre envolverá algum grau de risco. Todos os riscos devem ser analisados e ponderados pelo empreendedor para que seu negócio não termine prematuramente por erros irreparáveis que acontecerem por falta de planejamento, gestão precária, excesso de confiança e outros erros comuns.

Vamos falar aqui de outra situação que pode matar um empreendimento, uma empresa, que é a falta de visão e de ousadia. Como dissemos acima, todo passo deve ser analisado e ponderado, mas uma cautela excessiva que bloqueie a criatividade e a possibilidade de conquistar novos mercados também pode destruir uma empresa e isso provavelmente irá acontecer. Implantar um empreendimento e crer que isso será suficiente para mantê-lo por toda a vida sem nenhuma novidade é total ilusão.

Li sobre algumas grandes empresas que se destruíram ou estão em estado terminal por não investirem em novas oportunidades ou não acreditar naquilo que lhes deram excelência, deixando que outros aproveitassem do espaço ou mesmo de seus projetos e invenções. A XEROX, por exemplo, inventou a interface gráfica para computadores e o mouse, mas não aproveitou ou investiu o que precisava, pois não sabia ou não se deu conta de como suas invenções pudessem produzir lucros. A Xerox, ainda é uma empresa forte, mas sempre vinculada a fabricação de copiadoras. A tecnologia inventada por essa empresa foi inteligentemente utilizada pela Apple. Outra empresa que agora agoniza em função de não acreditar em si mesma e em seus desenvolvedores foi a Kodak, que inventou a câmera digital, mas não investiu no projeto por acreditar que isso a prejudicaria no mercado de filmes fotográficos (exemplo claro de falta de visão e de conservadorismo míope).

Portanto, caros empreendedores, empreender não se basta em iniciar um negócio, mas principalmente em ser criativo constantemente, estar atento ao mercado e às novidades, ousar com responsabilidade, olhar sempre a frente e dar o passo necessário para chegar lá.

Como disse Fernando Pessoa, “Tudo é ousado para quem nada se atreve!”

terça-feira, 1 de novembro de 2011

PÉROLAS DO RH - O que não responder em uma entrevista de emprego

Recebi uma mensagem de meu amigo e colega A. Bucater com algumas "pérolas" de entrevistas de emprego. Vou publicar aqui como um momento de descontração e que também serve de alerta para que tenhamos cuidado com o que dizemos nas entrevistas de emprego. Vamos lá:

Entrevistador – Você tem algum e-mail para contato?

Candidato - Sim, anota ai: gostosinha_da_zonaleste@hotmail.com

Entrevistador – Como você está na questão das línguas estrangeiras?
Candidato – Tenho português básico.

Entrevistador – Qual curso universitário você deseja fazer?
Candidato – Ah, to pensando em Nutricionismo, Letras ou Engenharia.


Entrevistador - Então, você está construindo um networking?
Candidato - Veja bem, eu não sou engenheiro, sou administrador.

Entrevistador - Como você administra a pressão?
Candidato - Ah, tranquilo. 11 por 7, no máximo 12 por 8.

Entrevistador - Manter sempre o foco é muito importante. E me parece que você tem alguns lapsos.
Candidato - O senhor poderia repetir a pergunta?

Entrevistador - Como você se sente trabalhando em equipe?
Candidato - Bom, desde que não tenha gente dando palpite, me sinto muito bem.

Entrevistador - Como você se definiria em termos de flexibilidade?
Candidato - Ah, eu faço academia. Sou capaz de encostar o cotovelo na nuca.

Entrevistador - Nós somos uma empresa que nunca pára de perseguir objetivos.
Candidato - Que ótimo. E já conseguiram prender algum?

Entrevistador - Vejo que você demonstra uma tendência para discordar.
Candidato - Muito pelo contrário..

Entrevistador - Em sua opinião, quais seriam os atributos de um bom líder?
Candidato - Ah, são várias coisas. Mas a principal é ter liderança.

Entrevistador - Noto que você não mencionou a sua idade aqui no currículo.
Candidato - É que eu uso óculos, e isso me faz parecer mais velho.

Entrevistador - E qual é a sua idade?
Candidato - Com óculos ou sem óculos?

Entrevistador - Quais seriam seus pontos fracos?
Candidato - Ah, é o joelho. Até tive de parar de jogar futebol.

Entrevistador - Há alguma pergunta que você queria me fazer?
Candidato - Eu parei meu carro lá na rua. Será que eu vou ser multado?

Entrevistador - Por que, dentre tantos candidatos, nós deveríamos contratá-lo?
Candidato - Eu pensei que responder a isto fosse seu trabalho.

Entrevistador - Como você pode contribuir para melhorar nosso ambiente de trabalho?
Candidato - Bem, eu começaria trocando a recepcionista, que é muito feia.

Entrevistador - Várias pessoas que se sentaram aí nessa mesma cadeira hoje são gerentes.
Candidato - Puxa, o fabricante da cadeira vai ficar muito feliz em saber disso

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

CRESCIMENTO NO COMÉRCIO NESTE FINAL DE ANO

A temporada de vendas de final de ano nos shoppings brasileiros começa neste final de semana (29/10) e com isso a abertura de 140 mil postos de trabalho temporário, 7% de crescimento em relação ao ano passado. Em publicações anteriores já comentamos que muitas dessas vagas temporárias tornam-se permanentes, desde que a economia continue crescendo e que o contratado demonstre sua capacidade e seu talento para atuar no ramo do comércio.

Outra notícia positiva para aqueles que pretendem disputar uma dessas oportunidades de trabalho é que também há a estimativa do aumento significativo do fluxo de público ao comércio e da média de gastos em relação a 2010, trazendo um maior volume de ganho e de comissões.

Outros setores também estão oferecendo mais oportunidades neste momento, como o setor de decoração, stands e outros ligadas à montagem da decoração natalina. Tanto os shoppings como as lojas de rua que ficam em áreas de comércio estão investindo mais na decoração.


Portanto fique atento às vagas temporárias e trabalhe para que essa oportunidade torne-se permanente.

sábado, 8 de outubro de 2011

CRIATIVIDADE E EMPREENDEDORISMO

No jornal Folha de São Paulo de hoje foi publicado o artigo de Fernando Rodrigues (página A2) com o título Steve Jobs e o Brasil. Recomendo a leitura do artigo, pois apresenta uma interessante reflexão sobre o empreendedorismo no Brasil. Em resumo, o artigo fala sobre o incentivo aos empreendedores, como é feito nos EUA, que possibilita o surgimento de gênios como Steve Jobs. O Brasil ao contrário, com uma postura conservadora e atrasada, inibe a criatividade e o desenvolvimento dessas pessoas, impedindo que de forma estruturada e dirigida para o desenvolvimento de idéias e de tecnologias, transforme o país num celeiro de gênios (muito possível num país como o nosso, o país do jeitinho). O Brasil pensa pequeno, hoje em dia há algumas políticas e incentivos ao empreendedorismo, mas não basta. O que precisa mudar é a cultura, a cabeça das pessoas e dos governos. O artigo lembra a reserva de mercado na área de informática que condenou o Brasil há um inestimável prejuízo e atraso tecnológico. O inventor aqui no Brasil não pode inventar, pois não tem como investir, não tem com quem o apóie. Caso consiga um investidor, a burocracia o devora. Caso supere tudo isso, ainda encontrará muita dificuldade em introduzir seu invento no mercado.  Aqui, criar algo novo e ganhar dinheiro com o trabalho não parece ser algo normal. Parece pecado. Ou seja, o modelo brasileiro não é nem de longe uma fábrica de gênios, apesar de todo o potencial que temos. É um modelo inibidor da criatividade (repito, salvo o jeitinho brasileiro em determinadas situações). O artigo especula ainda, que se Steve Jobs e Steve Woszniak estivessem no Brasil nos anos 70, nunca teriam acesso aos componentes que permitiram criar numa garagem o primeiro computador. Todavia, só com o empenho e esforço de cada empreendedor, poderemos ser uma fábrica de gênios e empreendedores de sucesso.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

O “NOVO” SEGURO DESEMPREGO

A imprensa tem divulgado que foram realizadas alterações no pagamento do Seguro Desemprego, benefício que “agora” pode ser limitado ou bloqueado devido às novas regras. Segundo essa “nova” regra, ao dar entrada no benefício em um posto do SINE, o trabalhador pode receber encaminhamentos para vagas de emprego e caso recuse ou falte em até três entrevistas, o pagamento pode ser bloqueado (as vagas devem ser na mesma função anterior e com salário igual ou maior e ainda ser em local acessível em relação ao local de moradia). Na verdade essa regra existe desde 1990, época de implantação da Lei do Seguro Desemprego, mas era difícil de monitorar e efetivamente cumprir essa determinação. Porém, com a implantação de um novo sistema informatizado e com bases de dados mais amplas e integradas e com amplitude nacional, surge a possibilidade de efetivamente ser colocado em prática o que a lei de 1990 obriga.

De outro lado, o trabalhador requerente do Seguro Desemprego deve entender que esse benefício é uma ajuda TEMPORÁRIA e EMERGENCIAL para os meses seguintes ao desemprego e não um período de “férias remuneradas”. Deve entender ainda que o mercado de trabalho é mais aberto para aqueles que tem pouco tempo de desemprego e que quanto mais tempo ficam fora do mercado de trabalho mais dificuldades encontrarão para encontrar uma nova oportunidade. É muito triste até, quando nos deparamos com um trabalhador que está dando entrada no Seguro Desemprego e diz que vai “aproveitar para tirar uma folguinha”, “aproveitar o dinheiro para viajar...”

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

BCP - Benefício de Prestação Continuada - Alteração na Lei

Uma boa notícia para pessoas com deficiência que recebem o BPC (Benefício de Prestação Continuada): Foi alterada a Lei Orgânica de Assistência Social (LOAS) que autoriza pessoas com deficiência a trabalhar como aprendizes, sem perder o benefício. Também assegura que o beneficiário, se necessário, retorne ao BPC sem passar pela reavaliação médica.

Anteriormente a essa mudança na lei, a pessoa com deficiência perdia o benefício caso ingressasse no mercado de trabalho ou tivesse atividade remunerada, inclusive como microempreendedor individual. A partir de agora, o beneficiário pode ingressar no mercado de trabalho e ter o benefício suspenso temporariamente. Se nesse período o beneficiário não conseguir manter o emprego ou não adquirir o direito a outro benefício previdenciário, ele retorna ao BPC sem precisar passar pelo processo de requerimento ou de nova perícia (avaliação da deficiência e do grau de impedimento pelo Instituto Nacional do Seguro Social - INSS).

Outra alteração na lei permite que pessoas com deficiência contratadas na condição de aprendizes continuem recebendo o BPC junto com a remuneração salarial durante o período do contrato. A lei também define que pessoa com deficiência é aquela que tem impedimentos de longo prazo (pelo menos de dois anos) de natureza física, mental, intelectual ou sensorial. Os impedimentos podem obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade, em igualdade de condições com as demais.

Um Projeto Piloto acontece em dez cidades brasileiras, com o objetivo de promover a inserção de pessoas com deficiência, entre 16 e 45 anos, no mercado de trabalho. Os municípios de São Paulo e Santo André, no Estado de São Paulo, executam o projeto desde o ano passado. Neste ano, os municípios de João Pessoa (Paraíba), Porto Alegre (Rio Grande do Sul), Recife (Pernambuco), Belém (Pará), Campo Grande (Mato Grosso do Sul), Teresina (Piauí), Fortaleza (Ceará) e Curitiba (Paraná) entraram no Projeto.

Essa alteração está contida na lei 12.470.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

DESACELERAÇÃO DO NÍVEL DE EMPREGO

Nos meses de maio, junho e julho o mercado de trabalho apresentou uma leve desaceleração, mas em agosto voltou a crescer e apresentou um saldo positivo de quase 50 mil postos de trabalho. Mesmo com esse saldo positivo, se compararmos com os últimos três anos foi o pior e vem caindo mês a mês.

As estatísticas oficiais do Ministério do Trabalho mostram a tendência de desaceleração do nível de emprego no país. Neste momento tal situação pode se gravar, já que a Indústria já está abastecida de produtos para os próximos meses e podemos citar o exemplo da indústria automobilística que esta semana divulgou que irá diminuir drasticamente a produção e dar férias coletivas aos funcionários. No campo a situação é semelhante, já que as safras já foram colhidas e os postos de trabalho (em grande parte, temporários) desaparecem.

Sobram então as oportunidades de trabalho no comércio e no setor de serviços, que em sua maioria estão nas regiões metropolitanas e nos grandes centros. O setor com tendência ao crescimento é o Comércio, ainda mais puxado pela sazonalidade com as festas de final de ano. O mesmo para o setor de Serviços e de Construção, que apresentam bom crescimento. No setor industrial, a área de alimentos também deve apresentar algum crescimento.

Observação:  Devemos considerar que os números apresentados acima variam de acordo com a metodologia empregada. Os números do IBGE e dos DIEESE/SEADE diferem na mesma pesquisa. Enquanto o IBGE considera como desempregado apenas quem procurou emprego nos últimos 30 dias e não exerceu nenhuma atividade remunerada, o DIEESE/SEADE inclui em sua pesquisa, o desemprego oculto por trabalho precário nos últimos 12 meses (bico) ou por desalento (que desistiram de procurar emprego ou não trabalharam nos 30 dias anteriores a pesquisa ou não trabalharam nos últimos 12 meses),

Devemos lembrar que o nível de emprego está diretamente ligado ao movimento da economia, onde na economia em crescimento aumentam os empregos e na economia estagnada os empregos desaparecem.

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

ATENÇÃO EMPREENDEDORES DE CURITIBA: COMO TRANSFORMAR SUA EMPRESA EM UMA FRANQUIA

COMO TRANSFORMAR SUA EMPRESA EM UMA FRANQUIA
DATA: 14 de setembro Quarta-feira - 8h00 as 12h00
Curitiba- Paraná
INSTRUTOR: MARCIO TADEU AURELIO
PÚBLICO ALVO: Empresários, microempresários e interessados no tema.
INVESTIMENTO: R$ 150,00 ( inclusos: apostila e certificado eletrônicos e coffee break )
LOCAL: Universidade Livre do Comércio da ACP – Rua XV de Novembro, nº 621 – 4º Andar
INFORMAÇÕES: (41) 3077-2070 / (41) 9928-1238

EMPREGABILIDADE: Qual é a sua?

Você sabe o que é empregabilidade? Você sabe como anda a sua empregabilidade?


Empregabilidade, em um conceito simples, é a capacidade de um profissional se recolocar no mercado de trabalho. Essa capacidade depende de diversos fatores, que podemos dividir em dois grupos: 1. Internos ou pessoais: como nível de escolaridade, experiência profissional, domínio de idiomas, conhecimento técnico, etc. 2. Externos: tamanho do mercado de trabalho, nível de atividade econômica, demanda de mercado, etc.

Assim, podemos deduzir que a empregabilidade não depende apenas da capacidade profissional da pessoa, mas também de fatores que fogem do domínio do trabalhador. Um exemplo disso foi a grande transformação do mercado de trabalho nos anos 80 e 90, onde muitas indústrias do setor metalúrgico em São Paulo fecharam ou se mudaram para outros estados e com isso um exército de profissionais do setor, embora altamente treinados e capacitados não tinham mais espaço no mercado de trabalho. Então o nível de empregabilidade dessas pessoas era baixo, ou seja, com poucas chances de retornarem ao mercado de trabalho. Ao mesmo tempo o mercado de trabalho no setor de informática crescia para os técnicos, pois era um mercado em ascensão e, portanto, a empregabilidade desses profissionais estava em um nível elevado. Com esses exemplos, mostramos que a empregabilidade nem sempre está ligada apenas à capacidade e nível de conhecimento do profissional, mas claro que sem esse conhecimento e preparo, mesmo com a economia em alta e o mercado de trabalho crescente, nenhum profissional chega ao sucesso.

Esteja sempre preparado para o mercado de trabalho e seja sempre um ser profissional em evolução. Fique “antenado” com o mundo a sua volta e atento às tendências do mercado de trabalho. Lembre-se ainda que conhecimento é a chave que abre muitas portas.

Agora avalie seus conhecimentos, veja se seu nível acadêmico é compatível com suas aspirações profissionais; se seus conhecimentos técnicos e sua experiência são capazes de te incluir de forma satisfatória no mercado de trabalho na profissão que escolheu... Faça sua parte e contribua para que a sua empregabilidade esteja mais em suas mãos do que nos fatores externos.

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

1º Encontro de Autoridades Locais da Unidade Temática de Juventude de Mercocidades

JUVENTUDE E EMPREENDEDORISMO


Aconteceu entre os dias 24 e 27 de agosto, em Lima, no Peru o 1º Encontro de Autoridades Locais da Unidade Temática de Juventude de Mercocidades, com a participação de 43 representantes de cidades de países do MERCOSUL e mais 40 de cidades do Peru.

O Mercocidades tem como objetivo estimular a integração em escala regional e estimular o desenvolvimento e cooperação entre as cidades. Atualmente o Mercocidades é formado por 182 municípios da Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela.

A Temática do evento foi Juventude e Empreendedorismo, discutindo e criando propostas que possam contribuir para o fortalecimento dos trabalhos juvenis, com a apresentação de palestras, workshops e troca de informações sobre experiências de sucesso no trabalho juvenil. O Brasil foi representado nessa temática, além da cidade de São Paulo, por meio da Secretaria Municiapl de Desenvolvimento Econômico e do Trabalho,  pelas cidades do Rio de Janeiro, Joinville, Goiânia, Dourados, Canoas, Caxias do Sul, Várzea Paulista, Osasco, Mauá e São Bernardo do Campo.

(foto:SEMDET)


quinta-feira, 25 de agosto de 2011

CURSOS ON LINE GRATUITOS

Já comentei em postagens anteriores sobre a necessidade de estar preparado, estar sempre estudando, realizando cursos de qualificação. Sempre digo também para aqueles que me perguntam sobre o assunto ou quando dou alguma palestra, que mesmo quando não se tem recursos para pagar por cursos, devemos procurar alternativas, já que sempre existem opções gratuitas ou com bolsas de estudo. Basta procurarmos.

O blog Profissionais de Sucesso da Analista de R&S, Mari Costa, nos dá uma dica de cursos gratuitos, oferecidos pela FGV (Fundação Getúlio Vargas) que são muito interessantes. Eu já conferi e já estou fazendo um. A Fundação Getulio Vargas é a primeira instituição brasileira a ser membro do OCWC (Open Course Ware Consortium), o consórcio de instituições de ensino de diversos países que oferecem conteúdos e materiais didáticos de graça pela internet.

Para ter acesso ao que o FGV Online oferece a você nesse Consórcio acesse o link http://www5.fgv.br/fgvonline/Default.aspx

Conhecimento é tudo! É uma excelente oportunidade para aprender e agregar valor à sua preparação para o mercado de trabalho.



quinta-feira, 18 de agosto de 2011

SETOR DE TURISMO E SERVIÇOS EM SP. Boas Perspectivas e Oportunidades para Empreender

Como comentamos em postagem anterior, a cidade de São Paulo no final do século XX deixou de ser uma cidade industrial para ser uma cidade de serviços. Essa transformação causou um período de transição com muitas dificuldades, desemprego acentuado, mas a cidade descobriu uma nova vocação e muitas oportunidades. São Paulo hoje é a capital dos eventos, do turismo de negócios, capital da gastronomia, do entretenimento...

No primeiro semestre de 2011, a cidade de São Paulo obteve um dos melhores índices na ocupação hoteleira (70%) desde que esse índice passou a ser registrado há seis anos. Isso mostra um crescimento de 26% desde 2005. Em junho a ocupação foi de 75%. Para este ano espera-se um aumento no número de turistas em relação ao ano de 2010 em que a cidade recebeu 11,7 milhões de turistas que movimentaram R$ 9,7 bilhões. Um Recorde!

Menciono esses indicadores para mostrar que o turismo em São Paulo está crescendo bastante e o perfil desse turismo que na cidade chega, proporciona muitas oportunidades de negócios ainda por explorar. O momento é excelente para quem deseja investir e desenvolver um novo negócio em alguns dos setores ligados ao turismo desenvolvido em São Paulo.

Abaixo apresento alguns indicadores (fonte: PMSP/SPTuris)

• Hotéis – 410 e Albergues (hostels) – 23
• 70 % de ocupação média
• Valor médio de diárias: R$ 232,00
• Permanência média do Hospede: 3,1 dias
• Gasto médio nesse período – R$ 1.263,00
• Origem: Estados Unidos, Argentina, Espanha e Japão. Nos albergues a predominância é de turistas ingleses, americanos, australianos, irlandeses e canadenses.
• Negócios e Eventos correspondem a 71% do motivo para a vinda do turista.
• Compras, gastronomia e entretenimento são as atividades mais procuradas para os que se programam para ficar mais tempo na cidade.

Essas informações dizem alguma coisa para você que deseja ter seu próprio negócio? Isso é apenas um exemplo para mostrar que as oportunidades aparecem, mas você deve estar atento, ser observador e antenado com o que está acontecendo.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

1° SEMINARIO DE POLÍTICAS PÚBLICAS DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE SOCIAL: Geração de Trabalho, Emprego e Renda




No próximo dia 25 de agosto as 9h,  será realizado o 1° Seminário de Políticas Públicas de Promoção da Igualdade Racial, com foco na geração de trabalho, emprego e renda.

O evento é organizado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e do Trabalho de São Paulo e acontecerá no Cine Olido, na Galeria Olido, na Av. São João 473.

Para participar o interessado deve enviar um email para seminariosemdet@prefeitura.sp.gov.br.
As vagas são limitadas.



terça-feira, 16 de agosto de 2011

CRIAÇÃO DE EMPREGOS DESACELERA - Oportunidades para Empreendedores?

A criação de novos empregos está desacelerando. Isso já vinha sendo percebido na indústria e os resultados do CAGED em julho (Cadastro de Empregados e Desempregados) mostra essa desaceleração no mercado de trabalho formal. Foram 22% de empregos a menos que no mesmo período do ano passado.

Foram criados pouco mais de 140 mil empregos em julho de 2011 contra 181 mil em julho de 2010. A região sudeste é responsável pelo maior número de oportunidades de trabalho com mais de 69 mil empregos e a região centro-oeste a que criou menos com apenas 12 mil empregos. No setor de serviços foram criados 46 mil empregos, 28 mil no comércio, 25 mil na construção e 23 mil na indústria. No acumulado do ano, a queda é de 14% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Isso pode ser reflexo de uma desaceleração da economia e com perspectivas de inflação em alta. A crise econômica internacional também pode estar influenciando essa redução no ritmo de geração de empregos. Deste modo, com muitas empresas pisando no freio com receio de problemas na economia, pode ser o momento para muitos tornarem-se empreendedores aproveitando as oportunidades, afinal, apesar de os indicadores mostrarem desaceleração a economia ainda está crescendo e com isso as oportunidades de novos negócios.

Como já dissemos em postagens anteriores, o ser empreendedor se manifesta quando é uma característica nata ou em caso de necessidade, onde não há outra opção para se manter no mercado de trabalho. Muitas vezes ainda, a pessoa descobre-se um empreendedor numa situação adversa. Portanto, fique atento às oportunidades que podem surgir ou serem descorbertas por você.

domingo, 14 de agosto de 2011

PROCURANDO EMPREENDEDORES

Uma notícia muito interessante para a população da cidade de São Paulo: As unidades do CAT -Centro de Apoio ao Trabalho, da Prefeitura de São Paulo, que são postos de atendimento do SINE na cidade de São Paulo, estão capacitando seus funcionários a identificar dentre aqueles que buscam oportunidades de emprego, um perfil empreendedor.

Isso é muito interessante, já que nos postos do Cento de Apoio ao Trabalho, existem a agência municipal de microcrédito (São Paulo Confia) e um agente para o cadastramento de empreendedores no MEI (Micro Empreendedor Individual) que orientam e financiam os empreendedores. Deste modo, pessoas com perfil empreendedor e com dificuldades em conseguir uma nova colocação no mercado de trabalho, poderão pensar em ter seu próprio negócio.

Não é raro pessoas que estão sem emprego sobreviverem por meio de pequenas prestações de serviços ou vendas de produtos como salgadinhos, roupas ou cosméticos, por exemplo. Porém essas pessoas ainda não se deram conta que essa atividade pode se transformar em uma empresa. Esse conjunto de ações proporcionado pelas unidades do CAT permitirá que muitos empreendedores surjam.Uma grande sacada que vai promover o autoemprego e possivelmente muitas histórias de empreendedores de sucesso.

Como Desenvolver um Currículo - 2

A postagem anterior “Como Desenvolver o Currículo” gerou muitos comentários e muitas visitas ao blog. Deste modo, resolvi falar um pouquinho mais sobre o tema e dar uma dica de como começar a preparar e planejar seu currículo.

Vamos lá: pegue uma folha de papel e comece a listar todas as atividades profissionais que realizou, todos os seus empregos, estágios, bicos. Faça o mesmo com cursos, seminários, congressos, de capacitação profissional. Detalhe cada um desses trabalhos e as atividades que desempenhou. Coloque tudo que vier à mente. Pronto, agora você tem matéria prima pra começar a montar seu currículo.

A partir do seu objetivo profissional, que imagino que já tenha definido, você vai escolher de modo inteligente aquilo que irá compor o seu currículo. Experiências muito antigas e que não agregam ao seu objetivo é melhor dispensar. Coloque tudo em ordem cronológica do mais novo para o mais antigo. Com os cursos é a mesma coisa. Só coloque aquilo que irá agregar valor e ser um diferencial a seu favor. Escolha muito bem o que comporá esse currículo e escreva de modo claro e direto. Se fizer assim, estará começando bem.

Um lembrete: Nunca minta no se currículo, pois será desmascarado na primeira entrevista.

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Como Desenvolver um Currículo

Devemos ter em mente que o seu currículo é só mais um entre centenas que aquele empregador está recebendo. Deste modo você deve fazer algo para que o seu chame a atenção do selecionador.

O currículo tem de ser visualmente atrativo, organizado e sem erros de gramática. Isso já é um começo. Visualmente atrativo não quer dizer enfeitado, paramentado de penduricalhos, coloridos... Quer dizer limpo e claro para os olhos. Se apenas um desses pontos não forem observados, dê adeus à sua chance de que ao menos leiam. O currículo deve ser planejado e montado com atenção, mostrando com clareza o seu histórico profissional e como se desenvolveu esse histórico. Não basta apenas descrever suas experiências. O currículo tem que provocar no selecionador o entendimento sobre sua vida profissional e o interesse em chamá-lo para a entrevista.

Deve ainda mostrar seus conhecimentos e habilidades e ser direcionado para a empresa, para aquela função que a empresa está contratando. Não inclua o que não tiver relevância ou não esteja ligado ao cargo a que está se candidatando. Destaque aquilo que pode significar um diferencial e que pode pesar a seu favor, para que seja você o escolhido.

Não coloque sua foto, mesmo que acredite que isso vai embelezar seu currículo. Esqueça informações como número do RG e CPF. Não ultrapasse duas páginas, pois além do selecionador não ter tempo para ler tudo, evita o desperdício de papel. Usar papel reciclado pode ser de bom tom. Não coloque cursos, seminários e palestras que participou se não agregarem valor, ou seja, que não estão ligados à atividade pretendida.

domingo, 31 de julho de 2011

Empreender: Diminua os riscos

Um negócio próprio inicia-se normalmente motivado por duas situações: ou você é um empreendedor nato ou uma eventual situação de desemprego o obrigou a tentar um novo meio de gerar renda, um auto-emprego.

Na primeira situação, o empreendedor normalmente vislumbra alguma possibilidade de negócio, analisa as possibilidades e dentro de suas características, conhecimentos e habilidades pessoais investe em algum negócio. Esse empreendedor nato, via de regra, preocupa-se também com a gestão de seu negócio e procura mais conhecimento para poder administrar e manter seu negócio vivo e lucrativo. Do outro lado, o empreendedor “acidental”, aquele que se vê obrigado a investir suas economias em um negócio que nem sempre é o ideal para si, possui grandes chances de ter uma vida curta, já que seu investimento foi focado por necessidade e não por oportunidade. Todavia, isso não significa que seu negócio não tem chance de sobreviver, apenas que o empreendedor deve se cercar de cuidados e dar maior atenção à gestão do negócio. Deve proteger seu investimento, tentando conhecer cada vez mais o mercado em que atua, preparar-se com cursos de gestão, de administração de negócios, finanças, etc. Há a disposição desses empreendedores, entidades de microcrédito onde os agentes de crédito acompanham o empreendedor auxiliando na gestão do negócio e diminuindo os riscos, outras entidades oferecem cursos gratuitos e pagos focados nos micro e pequenos empreendimentos.
Quer saber mais? Visite os links abaixo:

http://www.saopauloconfia.org.br/
http://www.bancodopovo.org.br
http://www.bancodopovo.sp.gov.br/
http://www.sebrae.com.br

segunda-feira, 25 de julho de 2011

ENSINO TÉCNICO PROFISSIONALIZANTE - Melhores Remunerações


Uma pesquisa da Fundação Itaú Social mostra que os jovens com ensino médio profissionalizante têm salários até 12% maiores do que aqueles que cursaram o ensino médio regular.

De acordo com o estudo, a diferença de remuneração passa para aproximadamente 20% para trabalhadores que freqüentaram algum curso técnico na área industrial, como mecânica, metalurgia, manutenção automotiva, petroquímica, entre outros. Os jovens que apostaram na educação profissional voltada aos setores agropecuário, contabilidade, administração e de saúde (enfermagem, radiologia) recebem, respectivamente, salários de 13% e 9%  a mais do que aqueles que optaram pelo ensino médio tradicional.

Essa pesquisa mostra o quanto é importante para se colocar no mercado de trabalho, não só a escolaridade como também cursos profissionalizantes. Sabemos que há uma carência muito grande de técnicos em diversas áreas e aqueles que estão preparados tem melhores chances de ingressar no mercado de trabalho e receber as melhores remunerações.
O governo do Estado de São Paulo, por exemplo, oferece cursos técnicos a alunos já matriculados no ensino médio regular no contraturno das aulas. Os programas profissionalizantes serão descentralizados ao Centro Paula Souza, Instituto Federal de Ciência e Tecnologia e a instituições de ensino particulares. O Estado programou investimentos de cerca de R$ 60 milhões para criar 30 mil vagas a partir de outubro. A expectativa do governo é que até 2014, 450 mil jovens concluam o ensino médio com uma formação geral e técnica.

Hoje dei uma entrevista para o Jornal da Tarde onde fizemos algumas considerações sobre o ensino técnico profissionalizante, que será publicada amanhã.

Link para a matéria do JT:
http://blogs.estadao.com.br/jt-seu-bolso/ensino-tecnico-aumenta-salario-em-ate-188/

quinta-feira, 21 de julho de 2011

20 anos da Lei 8.213, a Lei de Cotas para Deficientes

E lá se vão 20 anos de luta para a inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho! Eu particularmente tenho minhas ressalvas para cotas e reservas de mercados, mas neste caso a cota é justa e necessária. A Lei 8.213 não apenas veio para incluir pessoas com deficiência no mercado de trabalho, mas promover uma mudança cultural na sociedade brasileira em relação às pessoas com deficiência.


Não só é necessário mudar a cultura dos empregadores, como a cultura dos próprios deficientes e seus familiares. Muitos são superprotegidos por seus parentes desde pequenos e fazem acreditar que ele é uma pessoa limitada. Isso não é verdade.

Além do entrave cultural, há outros que a Lei de cotas e os movimentos representantes dos deficientes tentam derrubar. As barreiras físicas, tanto nas empresas quanto nas ruas e no transporte público, por exemplo, limitam a entrada de muitos deficientes no mercado de trabalho, principalmente cadeirantes e deficientes visuais. A barreira da educação também é percebida aqui, já que muitos possuem baixa escolaridade, nenhuma qualificação profissional e muito menos experiência de trabalho.

Porém, observamos que nestes 20 anos, a luta das pessoas com deficiência tem trazido resultados muito positivos. Pode ser que não na velocidade desejada, mas trouxe sim, muitos avanços.

Parabéns a todos que lutam por essa nobre causa. Parabéns para os 20 anos da Lei de Cotas para Deficientes.

Para saber mais sobre o tema, indico:

www.sorri.com.br

domingo, 17 de julho de 2011

MERCADO DE TRABALHO (comentários sobre matérias de jornal de hoje)

Lendo o jornal hoje pela manhã, duas matérias me chamaram a atenção. Uma delas fala sobre o futuro de algumas profissões, as três com maior número de graduandos. As áreas de Administração, Pedagogia e Direito, respondem por 39% dos estudantes que ingressam em uma faculdade. Será que há espaço no mercado de trabalho para tanta gente? A matéria é bem interessante e recomendo a leitura (Folha de São Paulo, 17/07). Diz a matéria que só os mais preparados e diferenciados conquistarão seu espaço no mercado de trabalho, com maiores chances para aqueles que fizeram as melhores faculdades, cursos de pós-graduação, MBA, dentre outros cursos e que sejam antenados com os temas e com os novos paradigmas, como sustentabilidade, ética, transparência, etc. Lembro que isso serve para qualquer atividade profissional, de qualquer área, e isso vale para aqueles que desejam trabalhar em alguma empresa ou ter seu próprio negócio. Quem estiver mais bem preparado, é claro, terá maiores chances e melhores oportunidades.


A outra matéria que li, fala sobre uma pesquisa feita pela Asap, uma empresa de consultoria de RH voltada para o mercado de executivos, que relata que oito em cada dez profissionais receberam propostas para mudar de emprego (para ilustrar nosso comentário aqui, 54,4% das propostas tiveram origem nos headhunters, 28% na indicação de amigos ou colegas, 4% no site Linkedin e 13,8% de outras fontes) .

Uma das coisas interessantes nessa pesquisa é a que mostra que apenas 25% dessas pessoas, que receberam proposta, mudaram de emprego. A análise da pesquisa mostra que o principal motivo para a permanência do funcionário é a política dos empregadores em manter seus talentos, com estratégias mais estruturadas de remuneração, por exemplo. Essa leitura também recomendo na mesma Folha de São Paulo.

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (EIRELI)

Dias atrás coloquei uma postagem falando sobre o Projeto de Lei que tramitava no Congresso Nacional sobre a Empresa Individual de Responsabilidade Limitada e as diferenças entre as modalidades empresariais. Hoje essa Lei foi sancionada pela Presidente e passa a valer essa nova modalidade de empresa, que terá em sua denominação o termo EIRELI.

A Empresa Individual de Responsabilidade Limitada possui as seguintes características principais:
  • Capital social de mínimo 100 vezes o salário mínimo e não há limite para o faturamento anual.
  • O empresário não pode ter participação em outra empresa da mesma modalidade (mas pode participar das outras modalidades)
  • Responsabilidade não recai sobre o patrimônio pessoal do empreendedor.

sábado, 9 de julho de 2011

NOVIDADES NA POLÍTICA PÚBLICA DE EMPREGO

A nova política de Intermediação de Mão de Obra e de Seguro Desemprego do Sistema Público de Emprego está em implantação em todo o país, onde os postos do SINE atuarão com um novo sistema (MAIS EMPREGO), em uma plataforma web e unificada, onde todos os cidadãos que desejam verificar uma oportunidade de trabalho poderão fazer nos postos do SINE em sua cidade ou de qualquer lugar pela Internet. O mesmo vale para os empregadores incluírem suas vagas.

Em São Paulo, os postos do SINE do Governo do Estado, do Município e demais entidades conveniadas estarão com o novo sistema em operação já durante o mês de julho. No Rio de Janeiro, os postos deverão estar atuando com o novo sistema em meados de agosto. Em alguns estados do Norte e Nordeste o sistema já foi implantado. Em breve, o cidadão poderá acessar o sistema de qualquer lugar do país e pode procurar por um emprego mesmo fora de sua cidade ou estado. A nova política pretende dar transparência ao sistema e proporcionar mais liberdade aos que se utilizam do Sistema Público de Emprego, tanto os trabalhadores como Empregadores.

segunda-feira, 4 de julho de 2011

PME BRASIL 2011 - Prêmio de Competitividade para Micro e Pequenas Empresas

Promovido pelo SEBRAE, este prêmio tem reconhecimento estadual e nacional à MPEs que promovem o aumento a qualidade, da produtividade e da competitividade, pela disseminação de conceitos e práticas de gestão. A apresentação do prêmio acontece neste dia 4, a partir das 19h na APAS (Associação Paulista de Supermercados) onde haverá a apresentação de palestra sobre Inovação e Criatividade e um talk show com os vencedores do prêmio.

SEGURO DESEMPREGO e o TRABALHADOR

O Seguro-Desemprego é um benefício integrante da seguridade social, garantido pelo art.7º dos Direitos Sociais da Constituição Federal e tem por finalidade prover assistência financeira temporária ao trabalhador dispensado involuntariamente. Foi introduzido em 1986, por intermédio do Decreto-Lei n.º 2.284 e regulamentado pelo Decreto n.º 92.608. Após a Constituição de 1988, o benefício do Seguro-Desemprego passou a integrar o Programa do Seguro-Desemprego que além de prover assistência financeira temporária ao trabalhador desempregado em virtude de dispensa sem justa causa, inclusive a indireta, auxiliá-lo na manutenção e busca de emprego, promovendo para tanto, ações integradas de orientação, recolocação e qualificação profissional. O Programa foi criado por intermédio da Lei n.º 7.998, de 11 de janeiro de 1990, que também deliberou sobre a fonte de custeio, com a instituição do Fundo de Amparo ao Trabalhador - FAT, o que permitiu a definição de critérios de concessão do benefício mais acessíveis e mudanças substanciais nas normas para o cálculo dos valores do Seguro-Desemprego.

Outro lado:

Uma situação interessante observada nos postos do SINE, é que muitos trabalhadores que entram com o requerimento do benefício do Seguro-Desemprego acreditam que podem aproveitar e “tirar férias”. Esses trabalhadores têm a falsa noção que ao receberem o benefício podem usufruir do dinheiro recebido sem a necessidade de procurar uma nova colocação, pois estão em segurança enquanto durar as parcelas que tem a receber. Somente então, após receberem todo o benefício, começam a pensar em buscar um novo trabalho. Neste caso, o tempo de desemprego aumenta, já que ele só vai procurar um novo emprego após o término do Seguro-Desemprego e isso pode durar meses. Sabemos que quanto mais tempo desempregado, maiores são as dificuldades para se recolocar. Mas ainda não dão conta disso, mesmo com toda a orientação dos agentes do SINE e com as ofertas que surgem. Para mim, fica claro que um sério problema de educação também está presente aqui e dinheiro público é desperdiçado com “trabalhadores” que não fazem questão de trabalhar e conquistar seu sustento com dignidade. O trabalhador inteligente é aquele que usufrui do benefício apenas enquanto necessário, em sua urgência, e não desperdiça as oportunidades de trabalho que surgem para si.

quarta-feira, 29 de junho de 2011

NOTICIAS DO SISTEMA PÚBLICO DE EMPREGO

Nos ultimos meses vem sendo implementada em todo o país uma mudança do Sistema Público de Emprego (SINE). É uma importante alteração no sistema informatizado das ações de Intermediação de Mão de Obra (IMO) e do Seguro Desemprego (SD) e também na filosofia do SINE. O sistema passa a ser mais transparente, com uma base única e integrada em todo o país. Neste momento a mudança está acontecendo no  Estado de São Paulo em todas as entidades públicas, privadas e sindicais que são conveniadas ao Ministério do Trabalho e Emprego, para as ações do SINE.

A partir de agora o sistema pode ser acessado via WEB tanto pelos empregadores, que podem inserir as oportunidades de trabalho em suas empresas pela Internet, como os trabalhadores podem se cadastrar e visualizar as oportunidaes de trabalho.

Nos próximos dias, divulgarei aqui mais detalhes que serão importantes para os usuários do Sistema Público de Emprego (empregadores e trabalhadores)

terça-feira, 21 de junho de 2011

FRENTE PARLAMENTAR DO EMPREENDEDORISMO

Lançada hoje a Frente Parlamentar do Empreendedorismo no Estado de São Paulo.

A frente tem o objetivo de criar propostas, apoiar e discutir projetos que incentivem o empreendedorismo, as micro e pequenas empresas e os empreendedores individuais, além de apoiar o crédito destinado ao desenvolvimento regional e os microempreendedores, com a finalidade de ampliar a política de microcrédito e microfinanças. Outro ponto que será observado pela frente é a questão da desburocratização e a carga tributária.

A cerimônia aconteceu na ALESP (Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo) reunindo importantes representantes da iniciativa privada e do poder público.
(foto: SERT)

segunda-feira, 20 de junho de 2011

A MOTIVAÇÃO VEM DE FORA OU ESTÁ DENTRO DE NÓS?

Motivação é algo que está dentro ou fora de você?

Se você espera surgir alguma coisa que venha de fora para estimulá-lo, prepare-se para ficar ainda mais desmotivado. A palavra “motivação” significa motivo+ação, então você precisa ter o motivo para agir, e esse motivo é você quem determina. Um incentivo vindo de fora, um elogio, por exemplo, ajuda, mas não determina o seu grau de motivação. Você está motivado quando está com a coragem para enfrentar os desafios. Mas essa coragem está ligada aos valores, a importância que você atribui às coisas à sua volta.

Na empresa os incentivos motivacionais tem curta validade, já que passam a incentivar ações, na maioria das vezes específicas. Se o funcionário gosta do que está fazendo, se ele tem interesse naquilo, ele vai desempenhar a tarefa auto-motivado, não necessita de motivação especial, de incentivo externo. Além do mais cada pessoa recebe o incentivo motivacional externo de modo diferente, em grau diferente, nem sempre obtendo o resultado esperado.

Os estudiosos no assunto apontam um ponto de consenso: que a realização de uma ação depende somente da pessoa. Não há um modelo que possa ser aplicado de forma totalmente eficiente e eficaz para todo um grupo. Motivação externa tem efeito volátil.

A motivação é caracterizada pelas ações que realizamos em prol de nossos objetivos, da nossa auto-realização. É algo que está dentro de você e só você pode manter-se motivado. Incentivos externos ajudam, mas não resolvem. Portanto, eis algumas dicas para que você esteja sempre auto-motivado:

Estabeleça objetivos importantes para a sua vida, metas para alcançar aquilo com que você sonha. Não basta estabelecer coisas fáceis, têm que ser objetivos de vida mesmo!

Junto com seus objetivos, tenha bem claro quais são os seus valores, seus princípios e suas crenças.

Tenha atitude. Você deve realizar ações em direção aos seus objetivos. Ficar parado não leva ninguém para lugar nenhum.

Viva cada momento de sua vida com alegria e seja uma pessoa positiva. Não se alie a pessoas negativas, que estão sempre reclamando de tudo.

Mantenha vivo o desejo de aprender e se desenvolver como pessoa.

Seja organizado e planeje aquilo que pretende realizar. Deste modo, as chances de sucesso serão maiores e não estarão sujeitas ao acaso.

sábado, 18 de junho de 2011

NOVA LEI PARA O EMPREENDEDOR INDIVIDUAL - Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (EIRELI)

Uma discussão que vem lá dos anos 80 pode culminar numa nova lei empresarial e facilitar a criação de empresas. A nova lei que está em tramitação no Congresso Nacional (o projeto já foi aprovado) permitirá que empreendedores abram uma empresa de responsabilidade limitada sem a obrigatoriedade de possuir um sócio. O Capital inicial dessa empresa deve ser de no mínimo 100 salários mínimos e diferencia os bens da empresa dos bens pessoais do empresário. Todavia, esse empresário individual fica proibido de participar de outras empresas da mesma modalidade.

Saiba as diferenças básicas entre os tipos de empresa:

MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL – Não é necessário ter capital social, a responsabilidade do empreendedor é total não havendo separação entre os bens pessoais e da empresa (já que a empresa é ele mesmo), e o faturamento anual não pode ultrapassar R$ 36.000,00.

EMPRESÁRIO INDIVIDUAL – Não é necessário capital social nem há limite para o faturamento anual e a responsabilidade recai sobre os bens do empresário.

LTDA (comum) – Não há limite para o capital social nem para o faturamento anual. É obrigatória a participação de no mínimo dois sócios e a responsabilidade é limitada ao capital social da empresa.

Sociedade Anônima (S.A.) - Não há limite para o capital social nem para o faturamento anual. É obrigatória a participação de no mínimo dois sócios e a responsabilidade é equivalente a participação de cada sócio na empresa.

EMPRESA INDIVIDUAL DE RESPONSABILIDADE LIMITADA – O capital social de mínimo 100 vezes o salário mínimo e não há limite para o faturamento anual. O empresário não pode ter participação em outra empresa da mesma modalidade (mas pode participar das outras modalidades) e a responsabilidade não recai sobre o patrimônio pessoal do empreendedor.