ANO XIV

ANO XIV - Catorze anos informando sobre o mundo do trabalho

sábado, 22 de junho de 2013

CRIAÇÃO DE EMPREGOS CAI 48,4% EM MAIO

A velocidade com que se criam empregos no Brasil vem caindo. Os números do CAGED divulgados nesta sexta-feira, referente a maio, apresentaram uma queda de 48,4% em relação ao mesmo mês do ano passado. Ainda se criam empregos no Brasil, mas em ritmo muito mais lento. Este resultado é o pior para a série histórica no mês de maio, registrada pelo Ministério do Trabalho e Emprego desde o ano de 2003. A expectativa dos especialistas era que fossem criados no período, em torno de 155 mil vagas, mas foram criados apenas 72 mil novos postos de trabalho. Todavia, o nível de desemprego continuou praticamente o mesmo, em torno de 5,8. Alguns analistas de mercado e empresários temem que a taxa de desemprego comece a aumentar e essa expectativa é muito preocupante. Apesar de ter sido registrado um aumento na renda do trabalhador, o nível elevado da inflação corrói esse rendimento. Para aqueles que ganham salário mínimo a situação é pior ainda, pois o ganho real é ainda menor.

A boa notícia fica para o setor Industrial, principalmente na Região Metropolitana de São Paulo que apresentou um crescimento na oferta de postos de trabalho. E dentro desse setor, destaca-se a indústria de transformação de plásticos que quase dobrou suas vagas, mesmo com o setor de plásticos e borrachas estarem estagnados. Segundo o sindicato deste setor, isso se deveu a desoneração da folha de pagamento para alguns setores, que facilitou a contratação, mas destaca que não houve incremento na produção e vendas, mostrando que esse aumento de vagas pode não se sustentar em médio prazo. 
Por Nelson Miguel Junior

quinta-feira, 20 de junho de 2013

ENTREVISTA COM O SUPERINTENDENTE REGIONAL DO TRABALHO no Estado de São Paulo

Realizamos nesta semana uma entrevista exclusiva com o novo Superintendente Regional do Trabalho no Estado de São Paulo, Sr. Luiz Antonio de Medeiros Neto, que falou sobre os desafios e projetos da SRTE.

O MUNDO DO TRABALHO – Sr. Medeiros, obrigado por nos conceder essa entrevista e desejamos uma excelente gestão. Para iniciarmos nossa conversa, vamos falar um pouco de sua trajetória.

Luiz Antonio de Medeiros- Em toda a minha vida busquei e briguei por direitos para os trabalhadores em movimentos sindicais, no legislativo e no poder executivo. Presidi a Força Sindical, atuei como Deputado Federal, assumi o comando da Secretaria de Relações do Trabalho, atuei como secretário adjunto na Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e do Trabalho, em São Paulo, e agora, recentemente empossado pela presidente Dilma para assumir o comando da Superintendência Regional do Trabalho/SP.

O MUNDO DO TRABALHO - Quando foi que o senhor assumiu ao cargo e como foi a receptividade da equipe da SRTE?  

Luiz Antonio de Medeiros - Fui nomeado dia 20 de maio pela Presidente Dilma para assumir. No dia 21 assumi minhas responsabilidades na Superintendência, onde fui muito bem recebido por todos.

O MUNDO DO TRABALHO - Como o senhor encara esse novo desafio?


Luiz Antonio de Medeiros - Encaro como mais um importante desafio de continuar brigando pelos direitos dos trabalhadores, junto com a minha equipe de fiscais, administrativo, buscando que todas as empresas do estado cumpram as leis trabalhistas, garantindo todos os direitos da CLT. As que não cumprirem deverão ser penalizadas. Mas, mantendo sempre o diálogo com os sindicatos patronais e dos trabalhadores para ajudar neste importante desafio.  

O MUNDO DO TRABALHO – Já podemos falar sobre quais são os projetos na sua gestão?


Luiz Antonio de Medeiros Reativação do Conselho Sindical; Aumentar os esforços nos serviços prestados pela Superintendência e nossas 26 gerências espalhadas pelo estado de SP; Aumentar a fiscalização; Ampliar os canais de diálogo com as empresas, com os trabalhadores e com os sindicatos. Realização de seminários e eventos temáticos do mundo do trabalho: trabalho infantil, lei de cotas para deficientes, assédio no trabalho, trabalho doméstico, com objetivos de conscientização e de prevenção.

O MUNDO DO TRABALHO - Como será a relação da SRTE-SP junto ao sindicato dos auditores fiscais? 

Luiz Antonio de Medeiros - Ótima, integrada, ouvindo as demandas e trabalhando em conjunto.


O MUNDO DO TRABALHO - Como o senhor pretende lidar com a questão do reduzido número de auditores fiscais no Estado de São Paulo para cobrir todas as demandas?

Luiz Antonio de Medeiros - Do ponto de vista político, fazendo gestões junto ao Ministério do Trabalho para a realização de mais concursos públicos.  Administrativamente, prestigiando a fiscalização, a segurança e saúde do trabalhador por projetos, ou seja, priorizando os temas mais abrangentes que envolvem os mais diversos seguimentos das atividades econômicas do estado de São Paulo.
  
O MUNDO DO TRABALHO - Quais são as metas traçadas para este ano?


Luiz Antonio de Medeiros - Combater a precarização das relações de trabalho e diminuir a informalidade, direcionar todos os esforços no combate ao trabalho escravo, trabalho infantil, degradante e inseguro.

O MUNDO DO TRABALHO - Como o senhor avalia a questão da eliminação dos riscos no ambiente de trabalho?

Luiz Antonio de Medeiros - Questão primordial para que seja dada toda a atenção. A meta é reduzir os acidentes exigindo das empresas a adoção de medidas protetoras e de prevenção. 

 O MUNDO DO TRABALHO – Recentemente, o Governo do Estado de São Paulo aprovou uma lei para combater o trabalho escravo no Estado. Quanto à essa questão, quais as ações para erradicá-lo?

Luiz Antonio de Medeiros - Fiscalização rigorosa, articulada e parceria com os segmentos econômicos envolvidos na busca da erradicação do trabalho escravo.


O MUNDO DO TRABALHO - A SRTE-SP tem algum trabalho de conscientização para a sociedade?

Luiz Antonio de Medeiros - O trabalho de conscientização é feito através da participação da SRTE/SP em diversos eventos e em parceiras com outros órgãos. No âmbito da fiscalização, por exemplo, pessoas com deficiência, convocação das empresas para cumprimento da Lei de Cotas antes da autuação. Porém, ainda há muito que ser feito. Sem dúvida, a conscientização é melhor do que a autuação.


O MUNDO DO TRABALHO Quais são os serviços para o trabalhador realizados pela Superintendência do Trabalho?

Luiz Antonio de Medeiros - Concessão de seguro desemprego, emissão de carteira de trabalho para estrangeiro, registro profissional, homologação de rescisão contratual e orientação ao público.


O MUNDO DO TRABALHO – Muito obrigado pela entrevista, e esperamos poder divulgar mais as ações da SRTE SP

Entrevista concedida a Nelson Miguel Junior

segunda-feira, 17 de junho de 2013

ESTABILIDADE NO EMPREGO

      Em determinado momento de nossa vida profissional temos que montar o curriculo para buscarmos uma nova colocação. Neste momento você percebe que teve vários empregos em um curto espaço de tempo. Surge  então, uma preocupação: quanto isso pode prejudicá-lo  numa entrevista de emprego. 
Sim. Um dos pontos observados pelos profissionais de Recursos Humanos e Selecionadores é a estabilidade nos empregos anteriores.  Mudanças constantes de emprego não devem ser analisadas isoladamente ou fora do contexto profissional do candidato. 
Essas mudanças não são necessariamente eliminatórias em um processo seletivo, já que tais mudanças podem ocorrer por diversos motivos. Mudanças constantes podem ocorrer por questões de mercado, incluindo sazonalidades e instabilidade econômica, por evolução profissional ou ainda por questões pessoais, ou seja, uma não adaptação do profissional. Neste caso, isso pode ocorrer também por várias razões como ter um “temperamento difícil”, perfil inflexível, não ter encontrado ainda sua “vocação”, ou mesmo um perfil profissional que não se enquadra dentro das normas ou rigidez de uma corporação, possuindo um perfil mais independente, voltado a ser seu próprio patrão. 
O selecionador é treinado para perceber essas diferenças e fazer sua escolha, visando qual candidato será o melhor para a empresa. Porém, mais importante do que isso, é o candidato perceber onde se enquadra, para poder mostrar suas qualidades no processo seletivo ou mesmo fazer uma auto-análise, saber onde se enquadra dentro dessa situação, corrigindo possíveis falhas e ainda planejar e traçar uma estratégia para os processos seletivos que escolher participar.  

Por Nelson Miguel Junior