ANO XIV

ANO XIV - Catorze anos informando sobre o mundo do trabalho

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

SALÁRIOS E BENEFÍCIOS

Há alguns anos os benefícios foram adicionados à remuneração dos trabalhadores. Inicialmente essa estratégia foi usada por grandes empresas e visava atrair e manter os melhores profissionais. Com o tempo foi sendo introduzida em empresas de todos os tamanhos e posteriormente passou a compor a renda do trabalhador.


Sempre defendi que a renda do trabalhador deveria ser composta apenas pelo salário e que fosse condizente com a remuneração pelo trabalho desempenhado. Benefícios deveriam continuar como uma estratégia para atrair e manter um bom profissional, um algo a mais. Mas hoje em dia os benefícios fazem parte da remuneração, onde em alguns casos é quase metade do rendimento. Isso é muito complicado, mas aceitável nos dias de hoje. O custo do trabalhador é alto e essa é uma forma de atenuar esses custos, já que não entram no cálculo de indenizações trabalhistas e nem sempre nos reajustes de valores. Muitas empresas, na hora de negociar reajustes com classes de trabalhadores, diante das dificuldades passam a negociar aumentos maiores nos benefícios e menores nos salários propriamente ditos. Para os trabalhadores é uma forma de preservar o poder de compra nesses tempos de inflação alta. Penso que não é a forma ideal, mas é o que se pode fazer hoje em dia para tentar manter um aumento real e o poder de compra pelo trabalhador.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário