domingo, 16 de novembro de 2014

EMPREGOS DIMINUEM EM OUTUBRO

Sazonalmente, os meses de setembro e outubro, são meses de maior contratação para mercado de trabalho, impulsionados pelas festas de final de ano. Mas essa série histórica positiva, apurada desde 1999, foi quebrada. Pela primeira vez desde que se faz essa apuração, o saldo foi negativo. Foram mais de 30 mil vagas fechadas no mês de outubro. Isso reforça nossa preocupação com os rumos da economia e do desenvolvimento do país, já comentada em outros artigos aqui no blog, que fatalmente já está refletindo no mercado de trabalho com o fechamento de vagas.

O Ministério do Trabalho e Emprego tinha uma previsão de saldo positivo de mais de 50 mil vagas, mas a realidade se apresentou de modo totalmente diverso, com saldo negativo de 30 mil vagas como mencionamos acima. Seguindo a “tese” do Planalto, o ministro alegou que tal resultado foi reflexo da “crise externa”. Todavia, acreditamos que a crise é resultado de má condução da economia pelo governo e não de nenhuma crise externa, pois a maioria dos países que estavam em crise, principalmente nossos vizinhos da América do Sul, apresentou crescimento econômico.


Outro ponto que discordamos radicalmente da opinião do ministro é que estamos em uma situação de “pleno emprego”. Nem na melhor fase da criação de empregos pudemos afirmar tecnicamente que estávamos em “pleno emprego”. Tais declarações não se coadunam com a realidade do mercado de trabalho, onde há muita gente desempregada, seja por falta de qualificação, seja por qualificação que não atende a demanda do mercado, seja simplesmente por não haver vagas suficientes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário