ANO XIV

ANO XIV - Catorze anos informando sobre o mundo do trabalho

sexta-feira, 15 de maio de 2015

BOA APRESENTAÇÃO NO PROCESSO SELETIVO

Ainda vemos anúncios de emprego com a exigência de “boa aparência”. Certamente a “aparência” nada tem a ver com Boa Apresentação, além de que é um termo discriminatório e ilegal segundo a Constituição Federal e também a CLT.

Quando se fala em BOA APRESENTAÇÃO estamos falando na compatibilidade da forma de se apresentar do candidato em relação à vaga e à imagem da empresa a qual se candidata. Falamos de higiene pessoal, vestimenta adequada, linguagem, expressão corporal, etc.

A Boa Apresentação pode não demonstrar as habilidades e conhecimentos para exercer uma determinada função, mas certamente poderá ser um critério que levará o candidato a frente do processo seletivo ou eliminá-lo de imediato. Esse é um ponto muito importante de um processo seletivo e que falamos muito em palestras sobre empregabilidade. Mesmo assim, muitos ignoram isso e continuam errando. Outro ponto ligado à Boa Apresentação é a adequação da forma de se apresentar para determinadas vagas. Deve-se estar sempre atento ao tipo de empresa e de função a qual está se candidatando. A identificação do candidato (e possível futuro funcionário) à imagem da empresa é decisiva nessa fase.

Vemos diariamente centenas de exemplos a não serem seguidos e apenas alguns bons exemplos. Muitos dos candidatos na primeira fase de um processo são eliminados nesse quesito, a Apresentação. Em conversa com esses candidatos eliminados aparecem sempre as mesmas desculpas: “sou assim e não vou mudar minha personalidade”, “o que minha roupa tem a ver com minha capacidade?”; “não vou mudar meu cabelo verde por causa de emprego”.  E será que se pode conseguir um emprego tendo cabelos verdes? Claro que pode. Desde que a imagem da empresa esteja vinculada a esse tipo de personalidade e apresentação. Há uma grande loja de departamentos onde boa parte de sua equipe é composta de pessoas com cabelos coloridos, tatuagens, piercings... Mas a maioria não é assim.

Vou citar mais exemplos: Dentre os candidatos num processo seletivo para um restaurante estão candidatos que aparecem vestidos adequadamente, cabelos presos e bem cortados, unhas limpas e discretamente perfumados e outros com cabelos desalinhados, aquele peculiar “bafo” matinal ou cheirando a cigarro, roupa amassada... Bem, quais das pessoas continuariam no processo? Não precisa pensar muito, não é mesmo? Agora a vaga é para uma loja de moda jovem, especializada na moda dos skatistas. Um grupo está lá de terno e gravata e outro de bermuda, camiseta e tênis (todos limpinhos, de banho tomado... rs). E agora? Quem tem mais chances de obter a vaga?


Portanto, o candidato deve estar muito atento a esse ponto do processo seletivo, que é eliminatório desde o início. Faça uma auto-análise, corrija o que for necessário e procure saber como é a empresa antes de iniciar o processo. Tenha certeza que suas chances de sucesso aumentarão muito.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário