domingo, 7 de junho de 2020

EUA SURPREENDEM E DESEMPREGO CAI

Em virtude da pandemia, o desemprego em todo o mundo é uma realidade e um fantasma assustador. O desemprego nos EUA estava alto, com índices próximos aos do Brasil, mas surpreendentemente o desemprego recuou em maio e criou 2,5 milhões de novos postos de trabalho, quando a previsão das agências econômicas era de que o desemprego chegasse próximo a 21%.  A taxa era de 14,7% em abril e recuou para 13,3%.

A pergunta que você deve estar se fazendo é “o que o desemprego brasileiro tem a ver com o desemprego nos EUA?”. Também fiz essa pergunta antes de escrever aqui.

O grande dilema de todos é como entender essa situação e agir. Isolamento, lockdown, flexibilização, “libera geral”? Em primeiro lugar devemos ter em mente que os dois problemas caminham juntos (saúde e economia) e que ninguém tem a resposta para tal dilema. Portanto, nosso caminho para a questão é impírica, tentativa e erro.

Lá, os setores responsáveis pelo crescimento dos empregos, foram os de Lazer & Hospitalidade, Alimentação & Bebidas, Comércio Varejista, Indústria, Serviços Profissionais, etc. Outros setores criaram vagas ou pararam de demitir.


A relação com o Brasil é que esse acontecimento no mercado de trabalho nos EUA pode trazer esperança ao nosso mercado de trabalho. Sabemos, por exemplo, que o setor supermercadista contratou muita gente, na contramão de outros setores. Muitos negócios estão se reinventando e que podemos ter outra realidade no mercado de trabalho pós pandemia. Infelizmente, tudo ainda é uma incógnita por aqui. Não temos uma diretriz clara, não caminhamos com o olhar na frente e sim apenas reagindo aos fatos, sempre na rabeira. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário