quinta-feira, 17 de julho de 2014

JUNHO 2014: menor criação de oportunidades de trabalho desde 1998

Acaba de ser divulgado pelo MTE - Ministério do Trabalho e Emprego os dados do CAGED (Cadastro geral de Empregados e Desempregados) do mês de junho. Os números apresentados indicam a menor taxa de abertura de novos empregos desde 1998. Foram geradas em todo o país apenas 25.363 vagas. Conforme comentamos em outros artigos nos últimos dias, a Indústria é o setor que está perdendo o maior número de postos de trabalho, seguidos pela Construção e o Comércio respectivamente. Foram mais de 28 mil vagas fechadas no setor da Indústria, 12 mil na Construção e 7 mil no comércio.

Outra informação importante é que a Região Nordeste fechou mais de 24 mil postos de trabalho, ficando com o saldo negativo,ou seja, há desemprego na região.

O declínio da economia brasileira está tendo, como não poderia deixar de acontecer, reflexos nas taxas de emprego. Setores como a Indústria e o Comércio vêm apresentando quedas constantes, o que aponta para um grande risco para os trabalhadores. O número apresentado para junho de 2014, mesmo com o advento da Copa, foi quase 80% menor que em junho de 2013.

Os dados completos ainda não foram publicados pelo MTE até este momento.

Um comentário:

  1. Sim Nelson Miguel Jr acompanho muito inclusive fiz um artigo destes na faculdade um projeto lá falei sobre isso ja que estudei CLT e muitas das legislações vigentes, como gosto desta área coloquei enfase nas melhorias dessas áreas que podia ocorrer pro desenvolvimento, ainda tenho esperança em trabalhar mais profundamente neste setor para colocar minhas idéias em prática, mais o principal fator mesmo e as altas taxas mesmo, impostos nas alturas. Tudo isso somado ao custos das cidades centrais em elevação, fazendo a nova migração reversa, as pessoas voltando pro interior e cidades dos norte e nordeste onde as taxas são absolvidas pelos municipios o que não vemos hoje em cidades como São Paulo e outras da região Sul e Sudeste uma pena.

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário