sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

A 4ª REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E OS EMPREGOS

Talvez você ainda não tenha notado, mas a 4ª Revolução Industrial já começou. É o tema da moda, mas extremamente verdadeiro e impactante. Estamos vivendo uma das mais radicais mudanças tecnológicas e sociais da história. Essa revolução se caracteriza, segundo os cientistas, pela convergência de tecnologias digitais, físicas e biológicas. As mudanças estão ocorrendo rapidamente e serão permanentes (até que uma nova “revolução” aconteça). Abandone suas convicções em relação ao Trabalho e Emprego, pois estão obsoletas e logo não terão serventia em nenhum lugar do mundo, seja em países mais avançados e ricos seja em países emergentes ou pobres. Tal revolução não é um avanço, mas uma mudança de paradigma.

As chamadas revoluções industriais anteriores se caracterizaram por três respectivos processos de transformação: A primeira caracterizou-se pela passagem da produção manual para a mecanizada (meados do século XVIII até início do século IXX); A segunda, com o advento do controle da energia elétrica, a possibilidade da produção em massa (meados do século IXX) e finalmente a terceira com o surgimento das tecnologias de eletrônica, da informação e das telecomunicações (meados do século XX).

Na revolução que surge, a automação em grande escala, total, será a principal característica, por meio de sistemas que integram máquina e homem, nanotecnologia e a inteligência artificial capaz de interagir com o ser humano e tomar decisões. Aqui, nos referimos apenas a processos industriais e trabalho. Segundo os especialistas e teóricos no assunto, as indústrias serão totalmente autônomas, controladas por si mesmas em pouco mais de uma década.

Contudo, estima-se que 5 milhões de postos de trabalho serão eliminados apenas nos quinze países mais industrializados. Por outro lado, a qualidade de vida para a população seria transformada para melhor, muito melhor. Ainda segundo os estudiosos, os países emergentes seriam os mais beneficiados. Mas o mundo é desigual e ninguém sabe o que vai acontecer. O debate está apenas começando e trata-se de um tema sem paralelo e totalmente desconhecido do ponto de vista social e político. Tecnologicamente falando é possível fazer previsões, mas do ponto de vista da sociedade ainda há muita controvérsia. O que acontecerá com as pessoas que não encontrarão mais postos de trabalho, já que não haverá lugar para todos? Os paradigmas sociais também terão que mudar. Não existirão mais trabalhadores e postos de trabalho como temos hoje. Como os trabalhadores e pessoas comuns serão beneficiados? A previsão é que a 4ª revolução industrial desapareça com 80% dos empregos nas fábricas. Surgirão outros caminhos para esses trabalhadores? Como será a obtenção de renda dessas pessoas? Lembro que isso já estará acontecendo em um futuro próximo, em pouco mais de uma década. Seremos atropelados pela tecnologia ou seremos seres humanos numa sociedade melhor?


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário